Quem escreve

Há muito tempo, aproximadamente entre 2006/7, quando eu ainda estudava Jornalismo na Universidade de Brasília, criei um blog chamado Revoluções de Ano Novo, onde eu falava sobre as metas de ano novo e como cumpri-las.
 
No final daquela década, abandonei o blog; passado algum tempo, as listas de ano novo, e, mais recentemente, as agendas de papel. Porém, ainda tenho algumas das listas guardadas, e se eu revisá-las agora, com certeza verei muitos planos que não se cumpriram, e tantas outras ambições que foram apenas passageiras.

Por outro lado, outras experiências construtivas aconteceram: trabalhei com Comunicação Social (fiz rádio, jornal impresso e site), conheci alguns países, estudei para concurso público, fiz aulas de bordado, fiz feira de artesanato, toquei guitarra, e cantei em público.

De lá pra cá, aprendi (e aprendo) com o método Getting Things Done – GTD a fazer listas realistas e mais eficientes, e a engajar nelas para realizar projetos e sonhos. Aprendo e estudo todos os dias sobre os mistérios que regem “o céu, a terra, a água e o ar”, como diz a música que leva o meu nome. 

Um desses mistérios, dentre tantos no universo, diz que todo fim representa um início, e todo início é o fim de algo. Ou melhor, o início é o fim e o fim é o início. 

Assim, o interesse que existia lá no “começo” da jornada, foi o que persistiu ao longo  do tempo, e o que me traz a este blog: a vontade de escrever um texto que seja prazeroso de ler. E como se diz no jargão jornalístico, a empolgação de fazer uma matéria de capa! Espero conseguir fazer essas duas coisas por aqui.

Mônica Pinheiro Barcelos